Translate

sexta-feira, fevereiro 24, 2017

Vacina que cura HIV tem resultado positivo em teste humano

Um novo relatório divulgado por cientistas indica que cinco pacientes com HIV não tem mais o vírus há sete meses graças a uma vacina. O tratamento foi desenvolvido por pesquisadores na Espanha e faz com que os pacientes não precisem tomar os comprimidos anti retrovirais para suprimir os efeitos do HIV. O teste ainda não foi feito em larga escala, mas há, de fato, a chance de a vacina ser uma cura.
Esse é o primeiro passo em direção ao sucesso de uma vacina contra o HIV em 30 anos. A busca por uma vacina contra AIDS já gerou grandes investimentos e estudo intensivo, mas, até o momento, não havia nenhuma no mercado.
“Isso é prova do conceito de que, através da vacinação terapêutica, é possível reeducar nossas células para controlar o vírus”, disse a doutora Beatriz Mothe, do Instituto IrsiCaixa Aids de Pesquisa de Barcelona ao jornal britânico Daily Mail.  A ideia é ajudar pessoas infectadas a pararem de usar drogas no controle do vírus por meses ou até anos.
De acordo com o jornal britânico The Independent, o fato do vírus ter sido suprimido e sem gerar a necessidade de uso de drogas diárias vem por meio da técnica inovadora que combina duas vacinas contra o HIV a uma droga usada no tratamento do câncer. Por três anos, a técnica foi desenvolvida. Ao todo, 24 pessoas participaram do estudo, e em cinco deles o vírus ficou não foi mais detectado.
A vacina ainda impediu a propagação do vírus no sistema imunológico. Existem pacientes livres do uso de medicamentos há sete meses. “Sistemas de longo prazo que não exigem o uso de remédios realmente podem ajudar 37 milhões de pessoas com HIV. Podemos ter a chance de frear a epidemia”, afirmou Mitchell Warren, diretor executivo da Aids Vaccine Advocacy Coalition, grupo que defende a propagação da vacina.
Para ele, apesar de em pequena escala, o estudo foi bastante “interessante e importante”. A vacina terapêutica funciona de forma distinta às vacinas de prevenção e imunização. “A ideia da vacina é controlar o vírus sem que tenha que tomar remédio todos os dias. Isso já é um grande avanço”, acrescentou Warren. Os participantes do estudo seguirão sendo monitorados e testados por três anos.


quarta-feira, fevereiro 22, 2017

Tratamentos para queimar gordura com bicarbonato de sódio

Tratamentos naturais com bicarbonato de sódio para eliminar a gordura corporal

Não sabe por qual tratamento optar? Leia cada uma dessas receitas com atenção. Os seus efeitos são muito similares. Escolha a que lhe for mais conveniente ou vá alternando.

1. Suco de Limão ou Toranja com Bicarbonato de Sódio

Ingredientes:
  • Bicarbonato de sódio: 1 colher de chá
  • Limão ou Toranja: 1 unidade
  • Água: 1/2 copo
Modo de preparo:
1. Esprema o suco do limão ou da toranja;
2. Dilua o suco na água, juntamente com o bicarbonato;
3. Misture bem;
4. Tome em jejum. Aguarde, no mínimo 20 minutos, antes de tomar o café da manhã.

2. Vinagre de Maçã com Bicarbonato de Sódio

Ingredientes: 
  • Água: 1 copo
  • Vinagre de maçã: 2 colheres de sopa
  • Bicarbonato de sódio: 1/2 colher de sopa
Modo de preparo:
1. Em um copo, misture todos os ingredientes;
2. Tome em jejum.
Outras dicas no site: Dicas online

domingo, fevereiro 19, 2017

Cientistas identificam novo continente no Hemisfério Sul: a Zelândia

Um novo continente, quase completamente submerso, foi identificado por cientistas no sudoeste do oceano Pacífico e batizado como Zelândia.
As montanhas mais altas dessa nova região, no entanto, já eram nossas conhecidas e despontam na Nova Zelândia, segundo os geólogos.
Agora, os cientistas estão empenhados em uma campanha para que o continente seja reconhecido.
Um artigo publicado a publicação científica Geological Society of America's Journal afirma que a Zelândia tem 5 milhões de quilômetros quadrados - quase dois terços do tamanho da vizinha Austrália, que tem 7,6 milhões de quilômetros quadrados.
Cerca de 94% desta área estão submersos - há apenas poucas ilhas e três grandes massas de terra visíveis na sua superfície: as ilhas do Norte e do Sul da Nova Zelândia e a Nova Caledônia.
É comum pensar que é preciso que uma região esteja na superfície para ser considerada um continente. Mas os especialistas levaram em conta outros quatro critérios: elevação maior em relação ao entorno, geologia distinta, área bem definida e crosta mais espessa do que a do fundo do oceano.
Reportagem completa BBC Brasil

terça-feira, fevereiro 14, 2017

Forma de cozinhar arroz pode trazer risco à sua saúde

Você ferve o arroz e espera a água evaporar? Segundo um cientista, isso pode envenenar a sua comida.

Por Marina Demartini, de Exame.com

A maneira que você cozinha arroz pode colocar a sua vida – e as das pessoas que comerem o alimento – em risco. Andy Meharg, professor da Universidade de Queens, no Reino Unido, revelou durante um programa da BBC que o arroz pode liberar arsênico se você utilizar um método bem comum de cozimento.

A técnica tradicional consiste em usar a proporção de duas partes de água para uma de arroz e ferver o alimento até que todo o líquido evapore. Após realizar esse processo, Meharg descobriu vestígios de arsênico no arroz, um elemento químico associado a uma série de doenças, como câncer e diabetes.
O arsênico é encontrado naturalmente no solo. Por isso, pequenas quantidades desse produto químico podem infectar o alimento. Geralmente, os níveis tóxicos são tão baixos que não causam preocupação às autoridades.

No caso do arroz, no entanto, a história é diferente. Isso porque, ele é cultivado em plantações inundadas e esse método faz com que o arsênico do solo entre com mais facilidade nos grãos. De acordo com a reportagem da BBC, o arroz tem cerca de 10 a 20 vezes mais arsênico do que outras culturas de cereais.isso pode envenenar a sua comida.

Alternativas

Apesar de a pesquisa ser importante para que mais estudos seja feitos sobre o assunto, isso não significa que você precisa parar de comer arroz. No programa, o professor também apresentou duas outras maneiras de cozinhar o alimento para ficar parcialmente livre do arsênico.
A primeira é usar uma proporção de cinco partes de água para uma parte de arroz e ainda tirar o excesso de água. Com isso, os níveis do produto tóxico foram quase reduzidos pela metade. A segunda é deixar o arroz de molho durante a noite e depois drenar a água. Assim, o grau de toxina é reduzido em 80%.
Este conteúdo foi originalmente publicado em Exame.com
Agradecimentos:

Barbie Negra mais linda do mundo

“Hannah Montana negra” como ela se intitula no instagram, uma menina de grande beleza contagia os internautas, Vejam mais fotos no site Geledés.















sexta-feira, fevereiro 10, 2017

Japão declara estado de emergência: ''Este é de longe o pior desastre nuclear a ocorrer na Terra''

O Japão declarou estado de emergência devido a eventos recentes no reator nuclear de Fukushima. Funcionários disseram que os danos no reator são "muito piores do que se pensava". 
Eles descobriram que o combustível derretido contaminou a água subterrânea e o núcleo derretido parece ter se espalhado por uma "área extensa". Além disso, um buraco de 2 metros de largura foi encontrado sob o recipiente de contenção. Uma sonda de câmera foi enviada para examinar os danos na segunda-feira, e revelou que parte da grade também está faltando. 

Na quinta-feira, um operador de planta anunciou que os níveis de radiação no reator subiram a níveis nunca antes vistos. As leituras levadas dentro do recipiente de contenção no reator número 2 da usina nuclear incapacitada ficaram em 530 sieverts por hora, o mais alto registrado desde o desastre. Antes destas leituras recentes, a maior leitura já registrada foi de 73 sieverts por hora. Estes desenvolvimentos recentes têm sido descritos por muitos como "sem precedentes" e "inimagináveis". Muitos no estado de campo que eles nunca ter considerado a possibilidade de trabalhar com níveis tão elevados como estes . Outra revelação perturbadora veio quando um chefe revelou que 600 toneladas de combustível tinha derretido e não pode ser encontrado. "Ninguém realmente sabe onde está''. 
Reportagem completa no Noticia Final

terça-feira, fevereiro 07, 2017

Como perder 2 centímetros de gordura abdominal em 4 semanas?

Apesar de não existir um segredo mágico para atacar o excesso de gordura que se acumula na cintura, há fórmulas para reduzir os riscos que os "pneus" acarretam para a saúde, como a diabetes tipo 2 ou complicações cardíacas.
Em um experimento realizado pela equipe do programa Confie em mim, sou médico, da BBC, comprovou-se que uma dieta equilibrada é mais eficaz que a prática de exercícios para eliminar o tecido adiposo excedente.
Mas a recomendação é que a alimentação seja complementada com um pouco de exercícios para manter o tônus muscular.
Os nutricionistas aconselham que uma pessoa deve consumir 500 calorias a menos do que o corpo requer diariamente para perder cerca de meio quilo em sete dias. Esse cálculo varia dependendo de cada um, mas o gráfico abaixo traz a relação entre o peso que se espera perder e o número de calorias eliminadas da dieta diária.
Veja as dicas na reportagem completa na BBC Brasil

sexta-feira, fevereiro 03, 2017

Jejum faz as células se comerem e renova o organismo

Não é dieta ou regime. Os cientistas estão pesquisando como o jejum ou o corte radical de calorias pode promover o aumento da expectativa de vida. A alimentação equilibrada e rica em nutrientes é fundamental para uma boa saúde. Porém, já é sabido que a privação de alimentos de forma controlada pode ativar mecanismos de autodefesa das células que garantem a elas maior longevidade. É isso que se traduz em benefícios para todo o organismo. Tudo por causa da autofagia. Ela é um mecanismo importante de autolimpeza que existe em todas as células de nosso corpo. Os genes que regulam essa reciclagem de organelas velhas ou malformadas foram identificados por Yoshinori Ohsumi, ganhador do Nobel de medicina deste ano. A redução da autofagia leva ao acúmulo de componentes danificados, o que está associado à morte das células e ao desenvolvimento de doenças. Assim, manter o mecanismo ativo seria uma forma de prevenir problemas futuros.

A autofagia é ativada quando a célula está em situações de estresse. Por exemplo, quando o indivíduo fuma um cigarro ou deixa de se alimentar. Para sobreviver, a célula passa a “comer” partes internas, degradando tudo o que tem de ruim. Quanto mais o mecanismo funciona maior a faxina interna.

“O jejum induz a autofagia, isso é sabido. Também sabemos que a autofagia induz a longevidade. A busca agora é entender a conexão entre a autofagia ativada pelo jejum e a longevidade das células”, explica Soraya Smaili, professora livre-docente da Escola Paulista de Medicina. Segundo ela, a maioria dos estudos feitos até hoje foi com animais. 

Outra forma de ativar a autofagia e propiciar benefícios para o organismo é com a restrição do consumo de alimentos. Para funcionar, a redução de calorias ingeridas deve variar entre 20% e 60%, de acordo com as pesquisas. “Não é o jejum, é a diminuição prolongada de consumo de nutrientes. A autofagia é aumentada”, explica Luciana Gomes. A redução ocorreria principalmente no consumo de carboidratos e proteínas.

Contudo, se a privação de nutrientes for muito longa, os efeitos passam a ser negativos. Nesse caso, a célula poderia começar a degradar componentes bons, que funcionam. O ideal seria conseguir estimular a faxina interna em tempo certo, sem excessos. Para isso, os cientistas pesquisam qual seria o tempo de jejum e o nível de redução calórica que garantiriam os efeitos benéficos sem causar prejuízos.
Reportagem completa no site Criacionismo

quarta-feira, fevereiro 01, 2017

Antes de morrer, astronauta da Nasa revela: ETs vieram à Terra impedir Guerra Nuclear

ESCRITO PORPATRÍCIA BELONI

Você já ouviu falar em Edgar Mitchell? O astronauta da Nasa foi o sexto homem a pisar na Lua, em 1971, durante a missão Apollo 14. Foi ele que pilotou o módulo lunar Antares, que trouxe cerca de 40 quilos de rocha lunar para análise na Terra. Depois de aposentado, ele fundou o Instituto de Ciências Noéticas, que estudava os fenômenos não convencionais da ciência, com os de alienígenas. Mitchell morreu aos 85 anos, na Flórida, nos Estados Unidos.
Antes de partir, porém, Mitchell deu uma entrevista que deixou o mundo inteiro com uma grande pulga atrás da orelha: segundo ele, alliens visitaram a Terra na época da Guerra Fria e ajudaram a impedir uma Guerra Nuclear. "Os ETs estavam tentando nos impedir de ir à guerra e ajudar a criar a paz na Terra", disse o astronauta Edgar Mitchell em entrevista para o site de notícias britânico Mirror.
Astronauta fala sobre extraterrestres
De acordo com Mitchell, ovnis foram vistos próximos a bases militares na época. “Falei com muitos oficiais da força aérea que trabalharam nessas estações durante a Guerra Fria. Eles me contaram que os Ovnis eram vistos com frequência e que eram capazes de desligar seus mísseis. Outros oficiais da costa do Pacífico contaram que os mísseis eram derrubados com frequência por naves alienígenas”, afirmou o sexto homem a caminhar na Lua.
Mas, por que essa história nunca veio à tona antes? Mitchell explica que o assunto foi encoberto pelo governo dos Estados Unidos.
Mitchell explica que conversou com diversos militares antigos, membros da Agência de Inteligência Americana - hoje, chamada de CIA - e eles revelaram que Truman, presidente dos EUA na ocasião, convocou um comitê para estudar o fenômeno UFO, e concluíram que realmente eram alienígenas.
Publicidade
Apesar da conclusão, decidiram esconder os acontecimentos. Para isso, criaram um Ato de Segurança Nacional em 1947 para dar validade ao anonimato do caso e da existência de uma equipe de investigação.
Com medo de perder o controle, o poder sobre o conhecimento e a tecnologia, Mitchell conta que o governo também dava um jeito de desencorajar as pessoas a investigarem situações parecidas.
Confira a entrevista na íntegra que ele cedeu:

terça-feira, janeiro 31, 2017

Divulgada primeira imagem de 'Oito Mulheres e Um Segredo'

O maior elenco de mulheres que você respeita apareceu reunido na primeira foto oficial de ‘Oito Mulheres e um Segredo‘, divulgada nesta segunda-feira.
Da esquerda para direita, estão lá Sandra Bullock como Debbie Ocean (a irmã do personagem de George Clooney), Cate BlanchetteRihanna, Mindy Kaling, Awkwafina, Helena-Bonham Carter, Anne Hathaway e Sarah Paulson.
O filme derivado da franquia ‘Onze Homens e Um Segredo’ ainda não teve a sinopse anunciada, mas sabe-se que Matt Damon, Olivia Munn, Dakota Fanning, Katie Holmes e até Kim Kardashian West também farão participações. A direção é de Gary Ross, com Clooney e Steven Soderbergh (diretor da trilogia iniciada em 2001) como produtores.
A estreia no Brasil está prevista para 8 de junho de 2018.