Translate

quarta-feira, março 14, 2007

Crônicas & Críticas


Papa diz que celibato é benção e segundo casamento, 'praga'
O papa Bento 16 reafirmou a necessidade do celibato para os sacerdotes e a proibição de divorciados de receber a comunhão no Sacramentum Caritatis, documento divulgado pelo Vaticano, nesta terça-feira, que rege a celebração de missas. Ainda no documento, Bento 16 classificou como "uma verdadeira praga" o segundo casamento de pessoas já divorciadas.
BBC Brasil


O ser humano evoluiu muito em comparação com 2000 anos atras, acho injusto que religiões tentem dominar e manipular os seres humanos com lições de puritanismo falso, na minha opinião as religiões só impedem a evolução de um povo, usando da prepotência e do autoritarismo proibindo isso ou aquilo, por que uma pessoa que é divorciada não é mais abençoada ou vista de bons olhos para o Criador? Pura hipocrisia, somos todos filhos de Deus e não é justo que alguém deva viver o resto de sua vida com uma outra pessoa não havendo mais amor, a igreja católica prega o boníssimo, mas seus representantes, no caso o Papa vive num castelo, segundo a bíblia católica "Mais fácil um camelo passar num buraco de uma agulha, que um rico entrar nos reinos dos Céus..." Muita hipocrisia para quem vive na luxuria, segundo a ONU o tapete onde o Papa meti seus chamados "sagrados pés" caso fosse vendido daria para matar a fome de toda a nação de Angola. O ser humano precisa acordar para essas religiões que visam impedir a evolução, para adorar a Deus não precisa ir a Igreja, dentro de sua casa e respeitando o direito do próximo você estará respeitando a palavra de Deus, enquanto existir pessoas ingênuas que dão esmolas nas igrejas para assim contribuir para a fortuna dos religiosos, o planeta estará sempre a mercê desses que se chamam seguidores de Deus, mas sera mesmo seguidores de Deus ou pessoas inteligentes que usam da ignorância para terem o poder?
A maior parte das guerras são derivadas de confrontos de religiões, guerra de poder...
Pensem e refletam!

Mais Noticias:
Brasil teve 73% do desmatamento da América do Sul, diz FAO
Página na internet lista segredos enviados pelo público
Site nos EUA oferece contatos com 'presidiários gatões'
Obras de túnel entre Europa e África devem começar em 2008
Trabalhar sentado aumenta risco de coágulo, diz estudo

Crimes na internet
Venda de Medicamentos e Receitas na Internet

8 comentários:

Renan disse...

Acho que a religião está dentro de cada um e se reflete nos nossos atos. Para mim, tentar praticar o bem no dia-a-dia é mais importante do que ficar frequentando essa ou aquela religião e não praticar aquilo que realmente está na bíblia. Essas proibições que as religiões usam são realmente absurdas, muitas até sem nexo algum. O ser humano sabe muito bem distinguir o certo do errado, tanto na sua vida pessoal quanto no seu convívio social, e cabe a ele, somente, responder por aquilo que faz, sem usar a religião, ou a falta dela, como desculpa para o que quer que seja.

Águas da Vida disse...

Parabéns pelo raciocinio Renan! Obrigada pela visita
Big Kiss

Hermans JI disse...

"no caso o Papa vive num castelo"

castelo no qual tudo se casam com a mesma pessoa... ou bastante a figura de Cristo Gesù... é talvez um exemplo de poligamia? :)

Eu acredito que o Jesus está aborrecido algum homem... muito bobo... agora leve ao cuidado dele de outros animais... não mais os macacos/homem :)
.:.

Águas da Vida disse...

@Herman grazie per participare!

Hermans JI disse...

@Águas da Vida
obrigado por sua visita para minha Blessure !!

Águas da Vida disse...

@Hermans - Um piascere.
Baci

Vagner Jeger Limeira de Castro disse...

Eu gostaria de aproveitar a pertinência temática e divulgar um texto meu sobre o tema. Ele foi originalmente publicado em:
http://blogoeublogastu.blogspot.com/
----------------------------------
Valores morais: são bons por que são religiosos ou são religiosos por que são bons?

Os mais céticos defendem o fim das religiões tendo em vista uma vida mais livre, mais crítica, menos "moralista", menos dogmática, menos calcada em princípios de fé e mais de acordo com o discurso científico. A esmagadora maioria da população mundial se diz espiritualizada de algum modo, no sentido religioso da palavra, e a humanidade chegou onde chegou. Não estaria na hora de mudar? Os mais crentes por sua vez contra argumentam que se o ser humano já faz as barbaridades que faz na presença de Deus, sem ele seria muito pior.

Aqueles alegam que as religiões perseguem o desenvolvimento da ciência. No século XVII, Galileu bateu de frente com a inquisição ao defender veementemente que o sol era o centro do universo e não a terra. Quase foi queimado vivo por isso. Mais recentemente (1978), com o sucesso da fertilização in vitro, ativistas religiosos tentaram impedir que as novas técnicas se popularizassem. Mais tarde, com o surgimento da AIDS os mesmos ativistas diziam que bastava ser fiel para evitar a doença e chegaram mesmo a pronunciar que o vírus HIV teria a capacidade de tunelar o látex da camisinha. Com a clonagem e estudos com células tronco, os religiosos acusam os cientistas de brincarem de Deus. Os religiosos sustentam que estes são casos isolados e que não se pode generalizar. Em contrapartida a ciência é acusada de manipular informações para iludir as pessoas a exemplo do que ocorreu com a pesquisa do sul-coreano Woo-Suk Hwang sobre células tronco embrionárias humanas, entre outros casos.

Para uns é difícil aceitar um Deus que se preocupe com as nossas necessidades pessoais e que recompense ou castigue o objeto de sua criação de acordo com o seu comportamento. Para outros, isto pode ser uma motivação a mais para praticar o bem.

Alguém que acredita em Deus poderá dizer: ah... entãos se Deus não existe podemos sair por aí matando que não faz diferença alguma? Para os não crentes o raciocínio é justamente o oposto. Uma vez que existe apenas uma vida, é preciso vivê-la da melhor forma possível, e matar não faz parte das prioridades. A admiração pelo mundo natural, pelas belezas que o cosmos revela à luz da razão não vai te levar a querer praticar o mal. Muito pelo contrário. Os que acreditam cegamente na existência de um paraíso após a morte, estes sim são potencialmente perigosos. Já alguém que não acredita em Deus poderá questionar: quer dizer que o universo é complexo demais para apenas existir mas precisa ser criado por um Deus que apenas existe? Da mesma forma que vocês simplesmente acreditam na ciência, nós acreditamos em um Deus, responde o religioso. É apenas uma questão de fé.

Os providos de fé afirmam que as religiões estão intimamente ligadas à formação de valores morais. Que as religiões querem um ser humano mais pleno, filho de Deus. Que mal a nisto? Os desprovidos retrucam dizendo que uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. Valores morais estariam muito mais associados à dicotomia do bem e do mal, ou seja, mais a uma questão filosófica do que religiosa propriamente dita.

E por aí vai. Discussões a parte, o fato é que a ciência não abala as convicções dos religiosos nem a fé toca o coração dos não-religiosos. É impossível uma uniformidade de pensamentos. Todos são felizes da sua maneira. Cada um possue os seus dogmas, sejam eles científicos, religiosos ou ambos simultaneamente. Não devemos ironizar a opinião alheia. Há espaço para todos. Ou nos acostumamos a conviver com as diferenças ou a humanidade não terá futuro.

Vagner Jeger

Águas da Vida disse...

Excelente seu raciocinio Vagner Jeger.
Volte mais vezes.
Big Kiss