Translate

sexta-feira, dezembro 08, 2006

Crônicas & Críticas

Norma, Não Dogma
Durante oito anos, dom Cláudio Cardeal Hummes foi Arcebispo metropolitano de São Paulo. Essa semana desembarcou em Roma para assumir o cargo de prefeito da Congregação para o Clero designado pelo Papa Bento XVI.

Antes de viajar para Roma, em entrevista, dom Cláudio Hummes fez uma afirmação respeitável pelo seu bom senso e respeito. Disse que o celibato não é dogma, mas uma norma disciplinar e que por isso, pode ser revogado sem maiores problemas para a fé católica. Claro que suas palavras causaram espanto em muitos meios conservadores, não somente na igreja, como fora dela, mostrado em comentários e opiniões, pois a ordenação de homens casados sempre foi polêmica.

E porque negar aos que por vocação trabalham para a igreja, o que é da natureza humana? “Crescei e multiplicai-vos” são ensinamentos deixados por Cristo. Sei que para católicos fica difícil imaginar um padre com mulher e filhos. Até hoje vejo um padre como um misto de homem com entidade divina. Mas a afirmação de dom Cláudio me faz lembrar e ver que é impossível negar a natureza, esquecer a sexualidade do corpo, ela está sempre presente e nega-la é sofrer conseqüências até na saúde. Assim como negar a necessidade humana do amor, de ter uma família com que desfrute alegrias e receba conforto quando necessita.

Muitos dirão que um padre com família não ofertará dedicação exclusiva à igreja. Sim, isso é verdade, mas por outro lado, o número de padres no mundo aumentará e assim o exercício do sacerdócio será compartilhado entre vários deles, dando possibilidades de realização aos que quiserem ter uma família, ou uma vida civil paralela.

E ainda...
Quem sou eu para julgar?

3 comentários:

Águas da Vida disse...

Na verdade esse tema é muito polemico, segundo alguns pesquisadores da religiao catolica o Vaticano é contra o casamento dos padres unicamente para nao ter que pagar herdeiros, imagina filhos de padres reivindicando um pedaço do tesouro, da riqueza do Vaticano? Que por sinal seria de direito.
Big Kiss

Ricardo Rayol disse...

Que o celibato é uma bizarrice não tenho a menor dúvida. Quantos casos de pedofilia nao exsitiriam se isso fosse abolido? E quantos cristãos não estariam com sua saude emntal boa

Fatima Gama disse...

Acho que o Ricardo tem toda razão, mas entendo a Igreja Católica,embora não faça parte dela, eles acham que devem ser puros e castos para resisitir as tentações, um conceito ultrapassado que mudará um dia como tudo muda,acho que os padres podem ser como os pastores das igrejas evangélicas, por que não? Bjs