Translate

quarta-feira, outubro 04, 2006

Crônicas & Críticas

Como distorcer a verdade

Muita gente já recebeu aquele e-mail que traz números comparativos entre os governos Lula e Fernando Henrique. Dizendo, é claro, que o governo Lula foi sensacionalmente melhor. E números, segundo o e-mail, do IBGE e outras fontes "seguras" de informação. Nada como distorcer a realidade com pequenas informações falsas, não é mesmo?

Dizem, por exemplo, que as ações da Polícia Federal para combater a corrupção explodiram no governo Lula, mostrando muito mais eficiência do governo do PT para prender os ladrões de colarinho branco. Portanto, estão combatendo quadrilhas que atuariam historicamente no País, roubando nosso suado dinheirinho.

Pois o engraçado dessa história é que os maiores escândalos divulgados até agora levam a quem? A figuras que estavam no poder em governos anteriores? Não! Levam a pessoas ligadas diretamente ao presidente da República. José Dirceu, Antônio Palocci, Duda Mendonça, Marcos Valério, Gushiken, Okamotto... me digam, esses são homens de Fernando Henrique Cardoso, Itamar Franco, Fernando Collor, Sarney ou presidentes anteriores?

Foram os corruptos históricos que mandaram violar o sigilo do caseiro Francenildo Costa? Foram os corruptos históricos que pegaram dinheiro sujo para comprar um dossiê, envolvendo-se com os bandidos da família Vedoin? Foram eles que tentaram impedir que a Polícia Federal não divulgasse as fotos do dinheiro? Foi para a empresa de algum filho de corrupto histórico - sem importância alguma - que uma empresa de comunicação privada resolveu "investir" R$ 15 milhões?

Todos os escândalos levaram aos homens próximos ao presidente Lula. Homens de confiança. E o próprio se faz de ignorante completo. Não sabe de nada. Todos ao redor dele estavam envolvidos em falcatruas. Mas ele, pobre coitado, nem tinha ouvido falar. Então avisem ao homem que haverá segundo turno, porque talvez ele não saiba.

Ele não sabe de nada que ninguém faz, só presta atenção no que dizem os seus marqueteiros:
- Faça-se de vítima. Diga que é tudo um golpe das "elites", que querem derrubá-lo só porque você é pobre e governa para os pobres.

Se realmente houvesse algum interesse das "elites" (grupo ao qual pertence o presidente Lula e toda a cúpula do PT, incluindo os envolvidos em escândalos), Lula já teria caído há muito tempo. Collor era um exemplo da elite e caiu por muito menos. Se Lula resiste, é porque não há nenhuma teoria golpista. Isso é desculpa furada para encobrir o fato de que o governo do PT está atolado até o pescoço no maior esquema de corrupção já detectado no Brasil.

O e-mail com os números comparativos levam qualquer ignorante a achar que Lula está certo em achar que realizou o melhor governo do mundo. Pois os números, por si só, mesmo falsos, não trazem informações importantes, como por exemplo o fato do governo Fernando Henrique Cardoso ter enfrentado pelo menos cinco crises internacionais, que tiveram um impacto muito forte no Brasil e pânico no mercado. Mesmo assim, o Brasil conseguiu crescer em linha com o desenvolvimento econômico mundial.

O governo Lula, por sua vez, pegou um céu de brigadeiro, onde todas as economias emergentes estão crescendo a todo o vapor. Mas o Brasil, ao contrário, está com o freio de mão puxado, com crescimento interno praticamente zerado. Ah, mas mesmo assim a carga tributária aumentou muito. A produção não cresce, mas o imposto sim. Muito inteligente!

Fala-se da queda brusca do risco-Brasil entre os governos FHC e Lula. Oras, e as pessoas, por acaso, sabem o que significa o risco-País e os fatores que o influenciam? Se soubessem, não fariam a comparação de maneira tão simples. Saberiam que o risco-País disparou por causa da ameaça de vitória do PT nas eleições, pelo medo dos mercados de rompimento de contratos, de moratória e mudança de rumo nos pilares da economia estabilizada.

Quando Lula assumiu o governo e manteve a mesma política econômica do ex-ministro Pedro Malan - coisa que o PT passou anos e anos e anos e anos condenando e dizendo que faria tudo diferente, por isso a desconfiança dos investidores estrangeiros -, era óbvio que o risco-Brasil ia cair. Até porque o mundo ficou estável e as economias começaram a crescer. Sem ameaças de crises internacionais e sem mudanças bruscas na economia, a tendência mundial é de queda no risco de todos os países emergentes.

Mas hoje as economias emergentes ultrapassam os 5% de crescimento, o Brasil não chega a 3%. Sem um pingo de investimentos em infra-estrutura. Nada que ajude a economia a crescer. Sem nenhuma reforma importante aprovada. Sem nenhum grande avanço na educação ou na saúde. Apenas um aumento considerável na despesas do governo, o inchaço do Estado. Gasta-se mais para sustentar o elefante branco governamental do que em estradas, portos ou em geração de energia elétrica.

Apenas inúmeras gafes nas viagens presidenciais pelo mundo, uma política internacional totalmente fracassada. E mais: fomos e ainda somos humilhados e tratados feito idiotas por pseudo-governantes como Evo Morales e Hugo Chávez.

Boa parte do que o presidente Lula se gaba de ter "reduzido a pobreza" se resume a pegar um programa que foi desenvolvido pelo ex-presidente Fernando Henrique, mudá-lo de nome para "Bolsa Família" e sair distruibuindo sem o menor critério pelo Nordeste inteiro, onde há os grandes bolsões de pobreza, cujas pessoas vendem voto em troca de saco de arroz. Um programa populista, que dá o peixe e não ensina a pescar.

Se tirarem o programa dessas pessoas, será possível perceber que todas voltarão às suas condições anteriores, sem o menor avanço. Não estão mais educadas, nem mais saudáveis, muito menos mais aptas a melhorarem de vida. É aquele pensamento retrógrado, que diz que pobreza se combate com esmola.

Dar esmola é muito mais fácil do que ensinar a ser cidadão, não é mesmo? É muito mais fácil do que investir no crescimento e desenvolvimento do País, de forma a gerar empregos e renda para essas pessoas. Mas isso, acreditem se quiser, emprego e renda não gera votos. E é justamente nisso -e somente nisso - que o PT está interessado.

Ao contrário do que prega o e-mail, Lula não governou para os pobres. Lula governou para infiltrar o PT no poder e para alimentar a sua própria megalomania. E, como diz a senadora Heloísa Helena, expulsa do partido por não concordar com as baixarias que começavam a tomar conta do governo que ela ajudou a eleger, hoje Lula é o chefe de uma organização criminosa, capaz de tudo para eliminar quem se colocar na frente do seu projeto de poder.



Brincando com a democracia
Eu já imaginava que Paulo Maluf seria o deputado mais votado de São Paulo. Na mesma proporção que imaginava que Fernando Collor seria eleito senador por Alagoas. Por mais que essas pessoas tenham sido escurraçadas da vida pública, eles nunca perderam o seu público cativo. Pessoas que acreditam que eles são uns injustiçados, foram grandes administradores, etc.

O que me deixou chocada nessas eleições foi a vitória de duas figuras particularmente bizarras: Clodovil e Frank Aguiar. Sem querer desmerecê-los como estilista e “cãozinho dos teclados”, o que me deixa embasbacada é a pergunta: o que esses dois estão fazendo lá?

Depois de todos os escândalos que vieram à tona no governo Lula, envolvendo mensalões, sanguessugas, vampiros, absolvição de deputados, todo mundo se disse chocado. Falaram barbaridades do Congresso. Político é tudo corrupto mesmo! Que absurdo! Que isso e aquilo!

Depois do que eu vi neste domingo, eu fico me perguntando: será que as pessoas nunca vão aprender que todo governo é reflexo de seu povo? Que os deputados que estão lá exercitando a corrupção diariamente estão fazendo isso por causa do seu voto? Será que as pessoas entendem que os deputados não nascem de um ovo e vão direto para o Congresso? Quando é que elas vão aprender que os políticos que roubam são os políticos que os eleitores elegem democraticamente?

Aliás, a pergunta que resume tudo isso é: será que as pessoas sabem para que servem um deputado ou um senador? Ou mesmo um vereador? Porque a impressão que eu tenho é que, para a maioria esmagadora dos eleitores, o importante é votar para governador, para presidente, para prefeito. O resto é lugar de fazer piada.

Ninguém se preocupa em votar em um deputado decente, que tenha propostas corretas. Se aparecer qualquer zé mané dizendo “Vote em mim e eu vou dar chocolate de graça para todo mundo”, as pessoas votam nele. Nunca se preocuparam em saber o que faz um deputado, que importância ele tem e que poderes são atribuídos a ele, para que ele possa ou não distribuir chocolates gratuitamente.

Alguém em sã consciência acha que Frank Aguiar tem algo a acrescentar à Câmara dos Deputados? Alguém pode achar que Clodovil fará algo para engrandecer este País? O que eu consigo imaginar é que as pessoas fizeram isso porque acham “engraçado”, porque queriam protestar contra alguma coisa, ou porque não fazem sinapse. E aí vem a minha grande indignação: urna não é lugar para se protestar, nem para fazer piada.

Por causa da mania de eleitores de achar que o voto não é importante, ou de não ter um pingo de interesse pelas coisas, pessoas como Frank Aguiar e Clodovil ficarão quatro anos em Brasília ganhando dinheiro às nossas custas sem fazer absolutamente nada de relevante. Ou vocês acham que os demais políticos vão enxergar a eleição de pessoas assim como protesto? “Nossa, o povo está nos mandando um recado, vamos nos comportar direito!”. Não, eles vão entender que os eleitores são todos uns patos, mesmo, e que não estão nem aí para o que eles fazem ou deixem de fazer.

Que engraçado será ver o pseudo-cantor na Câmara, né? Estou morrendo de rir. Por que, ao invés de perder tempo fazendo chacota com a democracia, as pessoas não passam a se preocupar em eleger pessoas com um mínimo de honestidade, inteligência e propostas interessantes?

E não me digam que isso não existe. Existe, sim. Eu faço isso há anos, desde que tirei meu título de eleitor. Acompanho os trabalhos de cada candidato em que votei. Sei que existem pessoas éticas e empenhadas em melhorar a vida das pessoas. É muito mais fácil dizer que são todos corruptos, votar no Frank Aguiar pra fazer piadinha de mau gosto, e fingir que política não é da sua conta, que é algo que só se faz em Brasília.

A política e o andamento do Brasil, meus caros, nasce das mãos de cada cidadão. Pensem nisso quando forem votar.

4 comentários:

Hilda disse...

Red's, parabéns pelo texto! Nele mostra de forma clara e comprovada a verdade sobre os números e vanglórias que o Lula usa.

Sugiro à Águas da Vida manter esse texto até o dia do segundo turno!
Bom e Verdadeiro, parabéns!

Águas da Vida disse...

Concordo Hilda acho que é bem obvio tudo aqui descrito pela nossa amiga Red.
Big Kiss

A Crítica disse...

Me explica como algumas CPIs não tiveram um final definido - se teve, me diz o final de uma delas pelo menos. Talvez porque finalmente estavam chegando no Fernando Henrique Cardoso, Itamar Franco, Fernando Collor, Sarney ou presidentes anteriores....me explica também onde foi parar o grandioso dinheiro da privatização da Companhia do Vale do Rio Doce no tempo do governo FHC? Não podemos olhar só para hoje, pois como sempre digo, imensos esquemas como esses não são construidos da noite para o dia, mas sim em várias sucessões de governo....

A Crítica disse...

Ah! Falando em PF, não é melhor vendo que eles estão trabalhando a "todo vapor" mesmo que prendendo os grandes ladrões ligados diretamente ao governo do que no governo tucano que quando a PF finalmente conseguia um caso não chegavam a lugar nenhum porque o caso era abafado pelo governo? Ou seja, eu peço a vocês, meus amigos colunistas que mesmo não votando no Lula, não votem no Alckmin, pois erá a mesma coisa que trocar seis por meia-dúzia.....