Translate

sábado, setembro 02, 2006

Música é proibida por suposta apologia à pedofilia

O Ministério Público do Rio Grande do Sul, a gravadora Acit e o compositor Carlos de Mascarenhas Carneiro firmaram acordo para impedir a execução da música E por que não?, da banda Bidê ou Balde, que supostamente faz apologia à pedofilia.
A medida foi fechada nesta quinta-feira em audiência realizada na 2ª Vara da Infância e Juventude de Porto Alegre e prevê que a música não poderá ser executada em qualquer tipo de meios que envolvam público como shows, TV e rádio. O acordo serve para prevenir a apreensão dos CDs e DVDs da banda, que já foram distribuídos nas lojas de todo o País.

Embora os integrantes do grupo concordem com o acordo, a Sony BMG ainda não se pronunciou e nem compareceu à audiência realizada na última semana. De acordo com a assessoria do MP-RS, a medida só se torna válida quando a gravadora assinar sua parte no contrato.

Polêmica
A polêmica começou em setembro do ano passado, quando quatro entidades que defendem os direitos das crianças, adolescentes e mulheres recorreram ao Ministério Público para que o governo proibisse a execução da faixa nas rádios. Na época, a assessoria de imprensa dos músicos chegou a anunciar que a atitude era uma forma de censura.

Ainda em setembro de 2005, o vocalista e autor da canção, Carlos Carneiro, protestou contra o que ele julgou ser uma forma "vil" de censura. "A gente nem se encontrou ainda para conversar sobre o assunto, para dizer o que a banda pensa, e as entidades já estão na mídia falando sobre isso. Isso mostra que o pensamento é mais vil do que eu pensava. Filmes como Assassino Por Natureza (de Oliver Stone) são uma obra de arte e nem por isso incitam o genocídio. Na música, é a mesma coisa, as letras são arte".

Leia abaixo a letra de E por que não?

Eu estou amando a minha menina
E como eu adoro suas pernas fininhas
Eu estou cantando pra minha menina
Pra ver se eu convenço ela a entrar na minha
E por que não?
Teu sangue é igual ao meu, é igual ao meu
Teu nome fui eu quem deu
Te conheço desde que nasceu
E por que não?
Eu estou adorando
Ver a minha menina
Com algumas colegas
Dela da escolinha
Eu estou apaixonado
Pela minha menina
O jeito que ela fala, olha,
O jeito que ela caminha
Terra

Fátima Gama comenta:

Não entendo o porquê de proibir só esta, outras músicas deste tipo já passaram pela mídia, lembro de uma que era do Claudinho & Buchecha que era assim “E você é baixinha, gatinha eu vou parar. Mas tudo isso porque eu me sinto coroão. Tu tens apenas metade da minha ilusão, Teus doze aninhos permitem somente um olhar. Nosso sonho não vai terminar desse jeito que você faz . Se o destino adjudicar esse amor poderá ser capaz. Nosso sonho não vai terminar desse jeito que você faz. E depois que o baile acabar, vamos nos encontrar logo mais.” E olha que ela tinha apenas doze anos. Muitas outras já fizeram sucesso. O compositor deve estar frustrado, afinal escrever é uma arte que poucos tem e compor uma música leva bastante tempo, é como um filho e imagine se uma mãe que gera uma criança por nove meses ao acabar de colocá-la no mundo alguém a rouba, talvez seja assim que ele se sinta! Mas é claro que a pedofilia deve ser combatida de todas as formas e eu concordo com a proibição embora não veja nada demais na letra, aqui o que está contando é a intenção!

6 comentários:

Águas da Vida disse...

Horrivel qualquer forma de censura mas quando tem de meio crianças devemos refletir.
Lamentavel.
Big Kiss

Hilda disse...

Esse tipo de censura aprovo e bato palmas! Toda e qualquer apologia que envolva atos criminosos e prejudiciais para a criança, terão sim que serem censurados!E se houve descuido da censura com outras letras, isso não pode ser desculpa para outro erro!

Vanna disse...

Como vc mesma disse querida o q conta é a intenção.
Se tivesse ouvido a música antes de ler a reportagem, diria q é um pai cantando pra filha, mas agora já penso em pessoas doentes cantando pensando em uma crinça e acho horrível.
Bjs, lindo domingo.

Gabriela Iscariotes disse...

Isso aí é censura da grossa, comparável à aquela da ditadura.

Primeiro, que pedofilia não é crime: é um distúrbio de personalidade. Pornografia infantil, abuso de crianças, isso sim é crime. E quem usa disso pra ganhar dinheiro não é pedófilo, é canalha e sem caráter mesmo.

Segundo, que se fôssemos censurar TODA obra que contivesse conteúdo sexual + menores de idade, o livro "Lolita" nem seria publicado.

Porque implicar com situações "imaginárias", com ficção? O próprio compositor da música falou muito bem, ao citar o filme do Oliver Stone como exemplo.

Claudio disse...

Eu entendo a proibição, como entendo também as opiniões contrárias.
Eu acho que o tal acordo foi motivado pelo medo que causa o aumento dos casos de abuso de crianças. E pela disseminação de imagens pela internet e a consequente corrupção de menores.
E como tudo que é feito sob a tutela do medo, acarreta-se alguns equívocos.
Bjs Fátima.

Um Poema disse...

Quando alguém não diferencia arte de anormalidade, qualquer censura é um acto de defesa de quem tem direito a ser defendido por todos e quaisquer meios.
Um abraço