Translate

sábado, agosto 26, 2006

Muçulmanos querem proibir festa em homenagem a Freddie Mercury
Publicidade
da France Presse, em Zanzibar

Uma organização muçulmana do arquipélago de Zanzibar, na Tanzânia, pediu que se proíba uma festa prevista para setembro em comemoração ao 60º aniversário do lendário cantor do grupo Queen, Freddie Mercury, nascido em Zanzibar que morreu há 15 anos.

"Tem gente que diz que Freddie Mercury é um zanzibarita, mas ele cresceu fora de Zanzibar e, em seguida, mudou o nome", criticou a Associação pela Propagação e Mobilização Islâmica (UAMSHO) de Zanzibar, em uma carta endereçada, nesta sexta-feira, ao Ministério da Cultura deste arquipélago semi-autônomo da Tanzânia.

"Associar Mercury a Zanzibar degrada nossa ilha, que é um local do Islã", informou o líder da UAMSHO, Abdallah Said Ali, na carta. "Autorizar esta cerimônia para uma pessoa, assim, conhecida no exterior de Zanzibar como um homossexual, difama o nome de Zanzibar", declarou.

Nas últimas semanas apareceram em Zanzibar vários cartazes promovendo uma festa na praia, prevista para 2 de setembro, para comemorar os 60 anos de nascimento de Freddie Mercury, que morreu em 1991.

O organizador da festa e dono do restaurante "Mercury's", Simai Mohamed Saidi, disse que o evento será realizado, conforme previsto.

Zanzibar, um arquipélago turístico do Oceano Índico, tem cerca de um milhão de habitantes, dos quais 98% são muçulmanos.

Farrokh Bulsara (Freddie Mercury) nasceu em Zanzibar, educou-se na Índia e viveu no Reino Unido com sua família a partir de 1964.
Uol

Fatima Gama comenta:

Mais uma vez o preconceito se configura, eu só não entendo o por quê de uma pessoa deixar de ser gente apenas porque não tem a mesma religião e opções de vida da maioria das pessoas, Jesus quando veio a terra não fez distinção de ninguém, não acusou, realmente eles não são dignos de terem um ídolo do rock como ele na sua história.

4 comentários:

Águas da Vida disse...

Ignorancia? Primitivismo? Nao sei que palavra usar amiga .
Big Kiss

Jackie disse...

É impressionante que ainda nos dias de hj nos deparamos com preconceitos tão exagerados.... que absurdo!!! Bjokas!

Hilda disse...

Estou inteiramente de acordo com teu comentário, Fátima! Tenho um preconceito sim, mas é com todos que se outorgam o direito de julgarem e condenarem as pessoas por terem preferências opostas às suas!

Gabriela Iscariotes disse...

Isso é falta de um lote pra carpir (tradução: falta do que fazer mesmo).