Translate

sábado, agosto 19, 2006


"Anjos do Sol" denuncia nas telas prostituição infantil

Depois de mais de 20 anos como colaborador de alguns dos principais cineastas brasileiros (Walter Salles e Cacá Diegues, entre outros), o gaúcho Rudi Lagemann estréia como diretor de longas com "Anjos do Sol".
O roteiro se inspira livremente em notícias de jornal sobre o problema da prostituição infantil. A partir delas, Lagemann criou a história de Maria (a estreante Fernanda Carvalho), garota nordestina de 12 anos vendida por sua família a um recrutador de prostitutas (Chico Diaz). Comprada por um fazendeiro (Otavio Augusto) em um leilão de meninas virgens, ela é enviada a um prostíbulo na região amazônica, onde sofre constantes abusos.
Pela trama, vê-se que "Anjos do Sol" é um filme de denúncia repleto de boas intenções. Mas só elas não garantem o interesse da obra. Em seu primeiro filme, Lagemann deixa claro que herdou mais os vícios do que as virtudes dos cineastas com que trabalhou. O diretor sempre opta pelas escolhas mais banais --como a redundância da trilha com as imagens.
Mas, como provou "Iracema, uma Transa Amazônica" (74), que também lidava com prostituição infantil, quanto mais original o filme, mais eficiente a denúncia.

Folha Ilustrada

Fatima Gama comenta:


É um assunto bem polêmico e todo o tipo de denúncia e ajuda para estas crianças são dignos de louvor, é um absurdo o que acontece neste Brasil e nós nem sabemos ou fingimos não saber. Como toda atividade clandestina a prostituição infantil sempre foi abafada e continua sem solução, talvez porque tenha se transformado no terceiro mais rentável comércio mundial, atrás apenas da indústria de armas e do narcotráfico. É um tema que vem preocupando não só o governo brasileiro, mas o mundo inteiro. As meninas normalmente experimentam a primeira relação sexual com o próprio pai, padrasto ou responsável e por este motivo acabam deixando suas casas e vão para rua ser prostituta porque em casa sofrem violência e abandono. Em alguns casos são os próprios pais que as vendem ainda com 10, 12 anos. Estas meninas passam a apresentar baixa auto-estima, fadiga, confusão de identidade, ansiedade generalizada, medo de morrer, furtos, uso de drogas, doenças veneras, irritação na garganta e atraso no desenvolvimento. A onda de pedofilia contribui para criar uma geração precoce de portadores do vírus da AIDS, elas sofrem ferimentos durante o ato, o que facilita a infecção.A maldade do ser humano é muitas vezes mais cruel que imaginamos, é um assunto que corta meu coração e que senti vontade de colocar para fora através deste blog, estes corvardes miseráveis que praticam a pedofilia deveriam se presos e condenados a pena de morte. Não sei até quando o homem continuará afrontando Deus com obras tão repugnantes.“E quem transviar um desses pequeninos, que crêem em mim, mas lhe valia que lhe pendurassem ao pescoço uma pedra de moinho e o jogassem no fundo do mar (Mt 18:6)”.

4 comentários:

Águas da Vida disse...

Lamentavel...As pessoas vivem como avestruz, enfiam a cabeça na areia e continuam a viver como se nada estivesse acontecendo!
Big Kiss

Nilson Barcelli disse...

É talvez a coisa mais sórdida que se pode fazer a uma criança.
Não é só o Brasil que tem esse problema, pois ele existe um pouco por todo o lado.
Em Portugal estão a ser julgadas várias pessoas acusadas de pedofilia, mas o julgamento anda tão devagarinho que desconfio que os crimes vão prescrever e os criminosos vão escapar impunes...
Essa novela pode ter pouca qualidade, mas sempre é um alerta para consciencializar a opinião pública e as autoridades para o problema.
Fez bem em abordar o assunto, por isso.
Beijinhos.

neidemel disse...

olá amiga querida quero te agradecer o carinho e te dar os parabens pelo destaque vc merece querida mil bjos no seu coração

Hilda disse...

É triste Fátima, muito triste... e nem sei se somente culpo a má distribuição de renda, ou a falta de educação, de saúde, a fome, ou a cultura de ganhar dinheiro facilmente com qualquer atividade, quer seja prostituição, drogas, tráfico de armas ...não se, só pedindo a Deus para acabar essas mazelas de muitos seres humanos.